sexta-feira, fevereiro 10, 2006






Pacheco Ferreira "Número Dois"
Do Presidente Mário Almeida
E Só Está na Câmara a Tempo Parcial

Pacheco Ferreira foi eleito, há quatro meses, para o executivo da Câmara Municipal de Vila do Conde, nas listas do Partido Socialista. Agora é o vice-presidente. Conhecido no município pela sua actividade de médico e pela ligação ao clube de futebol Rio Ave, Pacheco Ferreira aceitou o desafio de Mário Almeida "porque queria fazer algo mais pelos vilacondenses". Na sua primeira entrevista como vereador, Pacheco Ferreira admite que Mário Almeida vai cumprir os quatro anos de mandato e, por isso, rejeita a possibilidade de vir a ser um presidente de transição.

A decisão de aceitar o convite para o lugar de número dois "foi amadurecida durante três meses", lembra Pacheco Ferreira. A entrada para a vida política activa "foi a consequência de uma proximidade ideológica" com o presidente da Câmara. "Ninguém é apolítico. Sempre tive uma ideologia que se situa na área da social-democracia, acredito nas sociedades com capacidade de intervenção no domínio dos que precisam mais", refere.

O vereador tem sob a sua alçada os pelouros do movimento associativo, saúde pública e veterinária, desporto, solidariedade e turismo. "Estou muito satisfeito com aquilo que tenho encontrado nestas áreas. Agora a questão tem a ver com uma mudança de estilo. Uma mudança que se não servir para mais nada, que ao menos sirva para conseguir manter os mesmos resultados. Mas vamos procurar acrescentar qualidade ao que existe", disse. Quer criar "um sistema de co-responsabilização", mas afirma que essa intenção não está relacionada com o facto de ser vereador a tempo parcial. "Esta forma de organização, para mim, é muito importante. Não é que as coisas não estivessem a funcionar bem, porque estavam. Mas este é o meu estilo e acredito que com uma boa estrutura, os resultados vão surgir", disse Pacheco Ferreira.

Em relação ao associativismo, o vice-presidente da Câmara de Vila do Conde pretende incutir uma nova filosofia de acção e aponta algumas das ideias que deseja ver concretizadas nos próximos anos: "Temos 374 associações e é preciso criar condições para uma menor dependência dos subsídios, organizar os espaços existentes para permitir uma melhor rentabilização". O desporto escolar é uma área a ter em conta pelo novo responsável autárquico. "É importante incentivar o desporto escolar. Criamos, há dias, um prémio para o melhor aluno ao nível da natação, por exemplo".

Afirma que tem vários objectivos a médio prazo, como "o levantamento do que é a Terceira Idade no município, com a vereadora Elisa Ferraz, e que vai passar por conhecer ainda melhor a realidade. Não é um projecto muito visível, mas vai ser feito ao longo dos quatro anos".

Apesar de vereador, Pacheco Ferreira continua a exercer medicina no Centro de Saúde. A ideia de um vice-presidente a tempo parcial motivou algumas críticas por parte da oposição e Pacheco Ferreira admite que "uma representatividade, para todos os efeitos, deverá ser feita a tempo inteiro. Os pelouros que tenho implicam muita disponibilidade. Mas uma coisa é certa, modéstia à parte, sempre tive grande capacidade de trabalho e o problema da representatividade também não é assim tão prioritário quando estamos perante uma equipa extraordinária".

Mário Almeida já anunciou que este vai ser o seu último mandato, mas Pacheco Ferreira rejeita a possibilidade do presidente da Câmara abandonar o lugar antes de terminarem os quatro anos. "Ele tem a responsabilidade de um mandato à frente. Aliás, nem pode ser de outra forma. Ele sabe o que eu penso e conheço os sacrifícios pessoais e familiares que fez ao longo destes 30 anos de autarca, e não vai ser agora que diminuirá a sua dinâmica". No entanto, Pacheco Ferreira admite que "qualquer cenário é possível: se ele voltar a candidatar-se terá o meu apoio".