quinta-feira, janeiro 19, 2006

Isto é que é objectividade!

por Ruben de Carvalho, DN, 19 de Janeiro de 2005

No seu site www.marktest.pt, a empresa de sondagens divulgou esta semana os resultados do levantamento de noticiários televisivos sobre as presidenciais obtido pela Media- Monitor e pela Telenews.

Os dados são particularmente interessantes, até na medida em que não nos encontramos perante projecções ou amostragens trata-se do inventário puro e duro dos tempos de presença dos diversos candidatos nos noticiários e outros programas informativos dos canais generalistas e de sinal aberto: RTP1 e 2, SIC e TVI.

O facto mais notório é que em qualquer dos critérios utilizados os resultados são sempre os mesmos seja no número de notícias protagonizadas por cada candidato, seja na duração média de cada uma, seja na duração total, Cavaco Silva ocupa sistematicamente a primeira posição e Jerónimo de Sousa a última!

As sínteses da própria Marktest são esclarecedoras "Cavaco Silva protagonizou o maior número de notícias com 55 matérias, Jerónimo de Sousa, com 20 peças, foi o que menos protagonizou"; "Cavaco Silva protagonizou também notícias de maior duração, com um total superior a 2 horas e 56 minutos. Jerónimo de Sousa, pelo contrário, foi protagonista de notícias de menor duração total, cerca de 33 minutos"; "Cavaco Silva protagonizou (...) matérias de duração média mais longa, de 3 minutos e 13 segundos. Pelo contrário, Jerónimo de Sousa protagonizou notícias de duração média mais baixa, com 1 minuto e 38 segundos".

É irresistível ainda fazer a comparação entre os tempos relativos a Jerónimo de Sousa e Francisco Louçã enquanto o primeiro foi objecto de 20 notícias, Louçã brilhou em 50; enquanto o noticiário sobre o primeiro ocupou 33 minutos, o segundo contou com mais de 2 horas! De uma forma geral, Louçã foi noticiado de forma idêntica a Soares ou Alegre, todos dispondo cada um de cerca do dobro da informação relativamente a Jerónimo.

E para concluir, informa tranquilamente a Marktest "Analisando o período posterior às eleições autárquicas (...) Jerónimo de Sousa é o único que nas últimas três semanas tem assistido a decréscimos progressivos."

Se fossem as televisões a contar os votos, havia de ser bonito...