quarta-feira, agosto 03, 2005

Baião

Autarca de Baião acusada de violar dever de neutralidade

Público, 3 de Agosto de 2005

O candidato do PS à Câmara de Baião, José Luís Carneiro, acusou ontem a actual presidente da câmara e candidata do PSD às próximas autárquicas, Emília Silva, de violar deveres de "neutralidade e de imparcialidade" e de utilizar "abusivamente" bens públicos para fins eleitoralistas.
Em conferência de imprensa no Porto, o candidato socialista revelou que "há baionenses que estão a receber telefonemas anónimos a perguntar-lhes em quem vão votar". Paulo Pereira, presidente da concelhia socialista, acrescentou que as chamadas estão a ser feitas a partir da sede do PSD, o que tem contribuído para "instalar um clima de medo e de intimidação" entre a população. O PS vai solicitar a intervenção do provedor de Justiça e da Comissão Nacional de Eleições.
A actuação de Emília Silva mereceu outras críticas por parte de José Luís Carneiro, nomeadamente a de que "diversas vezes se confunde o papel de autarca com o de candidata em pré-campanha", e a de que o Boletim Municipal está a ser instrumentalizado, para "promoção da imagem da actual presidente". A publicação, que visa dar conta das deliberações camarárias, inclui aproximadamente 30 fotografias da autarca na sua última edição, mas nenhuma deliberação da autarquia.
"Estão em causa princípios fundamentais da democracia", sustentou José Luís Carneiro, referindo "não perceber" por que é que o líder do PSD, Marques Mendes, aceitou a candidatura de Emília Silva e rejeitou outras que se encontram em "circunstâncias semelhantes".
O PÚBLICO tentou colher o depoimento de Emília Silva, não sendo, no entanto, possível chegar à fala com a autarca até ao fecho desta edição.